Autoridades britânicas investigam traficantes de armas ligados ao Irã

Londres, 20 abr (EFE).- Oficiais da alfândega britânica estão investigando vários traficantes de armas do Reino Unido que violaram as sanções internacionais e forneceram equipamento militar para a força aérea iraniana.

EFE |

O jornal britânico "The Observer" informa hoje que as autoridades estão preocupadas com a continuação desse comércio, que ignora as restrições impostas pelas Nações Unidas de não permitir a exportação de armas e seus componentes ao Irã.

Um dos traficantes foi surpreendido enquanto tentava contrabandear peças para mísseis teleguiados ao Ministério de Defesa iraniano através de uma companhia fantasma.

Outro grupo de britânicos também foi detido ao tentar exportar componentes para a aeronáutica do Irã.

Um traficante de armas multimilionário também foi surpreendido quando tentava vender a uma empresa com sede Teerã metralhadoras utilizadas pela SAS (forças especiais do Reino Unido), capazes de disparar 800 tiros por minuto.

Autoridades do Reino Unido investigam também dois cidadãos do país acusados de colaborar com o Irã exportando peças para seu suposto programa nuclear.

Os dois investigados estariam ligados ao cientista nuclear Abdul Qadeer Khan, conhecido como o "pai" da bomba atômica paquistanesa, que reconheceu ter ajudado Coréia do Norte, Irã e Líbia a fabricar bombas nucleares.

Fontes do Ministério de Assuntos Exteriores do Reino Unido disseram ao jornal que existe uma forte preocupação com esse tipo de atividade.

Entre os identificados pelo "Observer" está o executivo Mehrdad Salashoor, descoberto pelas autoridades quando tentava fornecer ao Irã sistemas de navegação de alta tecnologia para mísseis.

Salashoor fez um envio sem licença a Malta com instruções precisas para que o material saísse deste país para uma companhia iraniana, que depois se descobriu ser o Ministério da Defesa do Irã.

A Polícia descobriu que Salashoor tinha recebido também pedidos de armas da Força Aérea e da Marinha iraniana. O executivo foi condenado a 18 meses de prisão, e as autoridades confiscaram com ele produtos no valor de mais de 537 mil euros.

Outro britânico, John Knight, um dos traficantes de armas com mais experiência no país, cumpre atualmente uma condenação de quatro anos de prisão, após ser acusado de vender 130 armas ao Irã.

Knight realizava seus negócios através de uma empresa chamada Endeavour Resources, com sede nas Ilhas Virgens Britânicas. EFE jr/rr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG