Autoridades alemãs suspendem ato contra a islamização por medo de choques

Colônia (Alemanha), 20 set (EFE) - As autoridades de Colônia, na Alemanha, suspenderam na última hora o congresso contra a islamização convocado hoje pela extrema-direita na cidade, diante do temor de um conflito com manifestantes de extrema-esquerda. A manifestação convocada contra a construção de uma grande mesquita, com capacidade para os 120 mil muçulmanos da cidade e adjacências, foi cancelada após os primeiros distúrbios da manhã com os denominados autônomos ou antifascistas violentos. Os conflitos foram registrados nas imediações do Heumarkt, onde devia ocorrer o congresso contra a islamização, pouco depois que todos os acessos a essa praça foram bloqueados por protestos pacíficos de jovens esquerdistas. Dezenas de milhares de pessoas tinham se concentrado nas imediações do local para protestar pacificamente contra a extrema-direita, respondendo à convocação de partidos políticos, associações de moradores e igrejas de todas as confissões. Grupos de autônomos encapuzados começaram, paralelamente, a erguer barricadas e entraram em confronto com os antidistúrbios, que tinham preparado um contingente de cinco mil agentes para evitar choques. Na sexta-feira à noite, já houve algum esforço de violência por parte destes grupos, que horas antes atiraram pedras nas pessoas que convocaram o congresso contra a islamização, Pro Köln (Por Colônia), plataforma eleitoral com representação no consistório colonês. A extrema-direita pretendia, com o...

EFE |

O objeto da convocação radical é protestar contra construção de uma grande mesquita na cidade, com dois minaretes de 55 metros de altura e uma cúpula de 35 metros, representativa para os 120 mil muçulmanos de Colônia. EFE gc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG