Autoridades alemãs alertam para risco de mutação do H1N1

BERLIM (Reuters) - A agência federal da Alemanha encarregada de doenças infecciosas informou nesta terça-feira haver indícios de que o vírus da gripe suína H1N1 começou a sofrer mutações e, por isso, alertou que ele poderá espalhar-se em uma forma mais agressiva nos próximos meses. Especialistas estão preocupados com o modo como a gripe se dissemina na Austrália e América do Sul, disse o chefe do Instituto para Doenças Infecciosas Robert Koch, Joerg Hacker.

Reuters |

"É possível que o vírus tenha sofrido mutação. A forma modificada poderia se espalhar durante o outono do hemisfério norte e retornar à Alemanha", disse Hacker em entrevista à imprensa em Berlim.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou a gripe suína ao status de pandemia no começo deste mês. De acordo com os últimos dados, mais de 230 pessoas morreram em decorrência da gripe no mundo todo, em um total de 52.000 casos confirmados de contaminação, a maioria registrada nos Estados Unidos e México.

Os sintomas da doença, conhecida como suína, costumam ser moderados, mas médicos dizem que o vírus poderia se transformar, ficando mais agressivo.

Segundo a OMS, a Alemanha tem o terceiro maior número de casos da gripe na Europa: 275 confirmados.

A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, disse na entrevista que o país está o mais preparado possível para qualquer aumento dos casos.

"Agora tudo o que temos de fazer é nos coordenarmos internacionalmente para definir quem deveria ser vacinado e como fazer isso, no caso de as coisas piorarem", disse ela.

(Reportagem de Marc Jones)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG