Autoridades acham US$ 7 mi em casa de líder do Cartel de Sinaloa

'Nacho Coronel' morreu na última quinta-feira em confronto com o Exército

EFE |

As autoridades mexicanas acharam US$ 7 milhões na residência de 'Nacho Coronel', líder do Cartel de Sinaloa, morto na última quinta-feira pelo Exército, informou a Procuradoria do México em comunicado.

O dinheiro foi encontrado durante a revista de sua residência em Guadalajara, em uma área nobre da cidade, junto com joias, armas e munição, além de duas granadas, um laptop e três veículos de luxo.

Ignacio Coronel Villareal, nome verdadeiro de 'Nacho Coronel', era um dos líderes do Cartel de Sinaloa, comandado por Joaquín 'El Chapo' Guzmán. A organização criminosa é considerada como a mais perigosa do México e tem ramificações pela América do Sul, Estados Unidos e Europa.

Jornalistas sequestrados

Neste sábado o o secretário de Segurança Pública (SSP), Genaro García Luna, declarou que o Cartel de Sinaloa está por trás do sequestro de quatro jornalistas mexicanos ocorrido na segunda-feira passada. As vítimas já foram libertadas e dois repórteres foram resgatados neste sábado em uma operação da Polícia Federal mexicana. "A pretensão deste grupo criminoso era transmitir mensagens do crime organizado usando os repórteres", disse García Luna em entrevista coletiva.

Na operação em que dois dos quatro jornalistas foram libertados - os outros dois já haviam sido soltos por meio de negociações, relatou García Luna -, ninguém foi preso. "Ao perceber a presença da Polícia Federal no entorno do cativeiro, os sequestradores fugiram", explicou o secretário.

Considerado o mais poderoso do México, o Cartel de Sinaloa trava atualmente guerra com outras quadrilhas para controlar o tráfico de drogas em diferentes regiões do país.

    Leia tudo sobre: méxiconarcotráficoCartel de Sinaloa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG