Autoridade Palestina não negociará com Israel sem o fim da colonização

A Autoridade Palestina condicionou o reinício das negociações com Israel ao fim dos postos militares e da colonização na Cisjordânia, afirmou o chefe dos negociadores palestinos, Ahmad Qorei.

AFP |

Estas condições serão apresentadas pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, ao presidente americano, Barack Obama, no encontro previsto para 28 de maio em Washington, segundo o jornal israelense Haaretz.

"Não acontecerão negociações sem o fim total da colonização, inclusive o que vocês chamam de 'crescimento natural' dentro das colônias", declarou Qorei.

"Não teremos negociações sem uma avaliação das colônias israelenses estabelecidas desde 2001", completou, em uma referência às colônias estabelecidas na Cisjordânia sem a autorização do governo israelense.

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu estaria disposto a desmantelar as colônias ilegais na Cisjordânia, em troca de mais apoio dos Estados Unidos diante da ameaça nuclear iraniana, informa a imprensa israelense.

"Há temas que são mais importantes e urgentes, como a ameaça iraniana. Há coisas sobre as quais devemos fazer compromissos. Identifico o perigo e por isso vou tomar decisões impopulares como evacuar as colônias ilegais", afirmou Netanyahu na segunda-feira.

As declarações de Netanyahu foram feitas durante a noite em uma reunião a portas fechadas do partido Likud, segundo o jornal Yediot Aharonot.

"A ameaça iraniana predomina sobre o restante", acrescentou o premier, que criticou os membros do Likud por falar "o tempo todo de colonização".

Citado pelo jornal Haaretz, Netanyahu também afirmou na reunião, qualificada de "agitada", que antes das eleições legislativas de fevereiro declarou: "Respeitamos a lei e nos ocuparemos das colônias ilegais".

"Nossa relação com os Estados Unidos é de grande importância. Nossas prioridades devem estar em concordância com as exigências de segurança nacional e devemos nos unir para evitar o perigo", declarou, sempre em referência ao polêmico programa nuclear do Irã.

Segundo o site do jornal Yediot, YNET, Israel pode aceitar desmantelar 26 colônias ilegais nas próximas semanas, mas informando que retomará a construção vinculada ao "crescimento natural" das colônias existentes na Cisjordânia.

yad-dlm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG