Autoridade Nacional Palestina convoca eleições gerais

Hamas rejeita pleito, que deve ser realizado antes de setembro deste ano

iG São Paulo |

O movimento islâmico Hamas, responsável pelo governo na Faixa de Gaza, rejeitou neste sábado a convocação de eleições presidenciais e legislativas palestinas para setembro, feita pela Autoridade Nacional Palestina (ANP). O Hamas acredita que o pleito "afundaria a divisão interpalestina".

"O Hamas não reconhecerá essas eleições ou seus resultados nem dará cobertura legal alguma porque aumentam a divisão e a separação e não servirão aos interesses do povo palestino", disse um dos porta-vozes do grupo em Gaza, Fawzi Barhum, em comunicado.

Barhum qualificou a convocação de "ilegal" porque o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do grupo Fatah, Mahmoud Abbas, "não tem nenhuma legitimidade e não está habilitado para organizar estas eleições".

Hamas e Fatah

A convocação das eleições pela ANP foi feita neste sábado após uma reunião do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (CEOLP), sob a presidência de Abbas em Ramallah (Cisjordânia). "O CEOLP decidiu iniciar os preparativos para organizar eleições presidenciais e legislativas nos próximos meses, no mais tardar em setembro", afirma o comunicado, lido pelo secretário do comitê, Yaser Abed Rabbo.

O secretário pediu ao "conjunto das facções palestinas que deixem de lado as reservas, em particular as divergências", em referência especialmente ao Hamas. A rejeição do grupo ao pleito deixa em risco a realização das eleições no conjunto dos territórios palestinos.

O mandato de Abbas, que chegou ao fim em janeiro de 2009, foi prolongado até a celebração de novas eleições para evitar o vazio institucional, o que o Hamas contesta. A Organização para a Libertação da Palestina (OLP), que reúne os principais movimentos nacionalistas palestinos, é dirigida desde 2004 por Abbas. A organização controla a Autoridade Palestina instaurada em 1º de julho de 1994.

A ANP ressalta que o objetivo da convocação eleitoral é "tentar sair do atual impasse e dar voz ao povo", segundo afirmou em Ramala Hanan Ashrawi, membro do Comitê Executivo da OLP. A atual divisão política entre a ANP e o Hamas impediu até o momento a realização de eleições, embora os mandatos presidencial e parlamentar já tenham expirado.

Hamas e Fatah negociam sem sucesso há anos, e com mediação do Egito, pôr fim ao atual conflito bilateral, que provocou em 2007 a divisão política dos palestinos em dois Governos, um do Hamas em Gaza e outro da ANP - sustentada pelo Fatah - na Cisjordânia.

As últimas eleições legislativas palestinas foram realizadas em 2006, com a vitória do Hamas, seguida de um boicote da comunidade internacional ao Governo islâmico em Gaza.

Já as eleições presidenciais foram realizadas um ano antes e foram vencidas por Abbas, embora o Hamas tenha optado por não apresentar candidato.

* Com informações da AFP e da EFE

    Leia tudo sobre: HamasANPeleiçõespalestinapalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG