Autoridade egípcia diz que falta pouco para trégua de Israel e palestinos

Jerusalém, 18 mai (EFE) - O responsável do serviço de inteligência egípcio, Omar Suleiman, afirmou hoje ao líder pacifista israelense Yossi Beilin que só falta o sim do ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, para que o Estado judeu e as milícias palestinas acordem uma trégua temporária.

EFE |

"Se receber o sinal verde de Ehud Barak, poderia fixar uma hora para que o cessar-fogo entrasse em vigor amanhã em meu encontro com o Hamas no Cairo", disse Suleiman a Beilin durante o Fórum Econômico Mundial realizado na localidade egípcia de Sharm el-Sheikh.

Suleiman negocia há semanas uma proposta de cessar-fogo temporário de seis meses em Gaza que pode ser ampliado à Cisjordânia e que foi apresentada pelo Hamas a Israel através do Cairo com o apoio das milícias palestinas.

Uma delegação de líderes do movimento islâmico palestino viajará amanhã à capital egípcia para continuar as negociações desta trégua temporária em troca do fim do bloqueio econômico à faixa.

A maior divergência está em que Israel exige incluir no acordo a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, em poder de três milícias palestinas desde junho de 2006, entre elas o braço armado do Hamas, as Brigadas Ezzedin al-Qassam.

Como contrapartida ao cabo israelense, o Hamas exige a libertação de mil dos 11 mil presos palestinos em cadeias israelenses.

Suleiman disse hoje a Beilin que "a libertação de Gilad Shalit será incluída no acordo de cessar-fogo se Israel aceitar a lista de presos que o Hamas quer ver em liberdade".

"Mas como Israel rejeitou a maioria dos nomes, é preciso negociar", acrescentou o militar egípcio, segundo um comunicado do escritório de Beilin. EFE ap/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG