Um alto funcionário do partido Baath no poder na Síria afirmou nesta quinta-feira que seu país quer recuperar as Colinas de Golã ocupadas por Israel desde 1967, mas considerou que o Estado hebreu não é capaz de estabelecer a paz, em um discurso divulgado pela agência síria SANA.

"Recuperar Golã ocupada é a primeira preocupação da Síria. Nosso objetivo é libertar Golã a qualquer preço", declarou Mohammad Said Bjaitan, membro da direção do Baath.

"A Síria, que trabalha em prol de uma paz justa e duradoura, tenta pôr fim à ocupação (de Golã) e consolidar a estabilidade na região", acrescentou o dirigente sírio.

Mas "Israel não é capaz de estabelecer a paz e os Estados Unidos não estão dispostos a desempenhar um papel positivo nesse sentido", acusou Bjaitan.

Em abril, o presidente sírio Bachar al-Assad, revelou que a Turquia estava intermediando a tentativa de um acordo para que Síria e Israel retomem suas negociações de paz.

As negociações entre Israel e Síria, patrocinadas por Washington, foram interrompidas em 2000, devido à situação de Golã. A Síria exige a restituição total até as margens do lago Tiberíades, principal reserva de água doce de Israel.

rm/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.