Washington, 28 ago (EFE).- O pirata informático Albert González, acusado no maior caso de roubo de identidade na história dos Estados Unidos, se declarou hoje culpado de 19 acusações após ter chegado a um acordo com a Promotoria, que poderia acarretar entre 15 e 25 anos de prisão.

González, que foi detido em 2008 em Miami e foi, no passado, um informante do Serviço Secreto, é acusado de ter roubado números de cartões de crédito e de débito de mais de 40 milhões de contas bancárias, segundo a imprensa local.

O hacker, de 28 anos, se declarou culpado em um juizado de Boston das acusações de conspiração, fraude eletrônica e roubo de identidade agravado, informaram a imprensa local.

Sob o acordo alcançado com os promotores, González enfrenta entre 15 e 25 anos de prisão.

O Departamento de Justiça apreendeu US$ 2,8 milhões em dinheiro, um prédio em Miami, um automóvel e joias.

González foi detido em 2008 com outras dez pessoas.

Ele foi julgado em juizados federais de Boston e de Nova Jersey de acusações relacionadas aos roubos de identidades em companhias e lojas como TJX, Dave & Buster's, Barnes & Noble, Sports Authority, Forever 21 e DWS, OfficeMax, Boston Market, BJ's Wholesale Club.

O caso de Nova Jersey é o maior de roubo de identidade registrado na história dos Estados Unidos, pois González e dois cúmplices de nacionalidade russa são acusados de ter roubado os dados de 130 milhões de cartões de crédito e débito. EFE cae/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.