Autor de massacre na Alemanha assassinou últimas vítimas já ferido

Berlim, 4 abr (EFE).- O massacre cometido no mês passado por um jovem de 17 anos no sul da Alemanha teve um desenrolar diferente da versão oficial oferecida até agora, pois o autor do crime cometeu os últimos dois assassinatos já ferido pela Polícia.

EFE |

Um porta-voz da Procuradoria de Stuttgart confirmou hoje informações da revista "Focus", segundo as quais Tim Kretschmer já tinha sido atingido pela Polícia antes de entrar na concessionária de automóveis na qual matou duas pessoas.

A citada fonte negou, no entanto, que a Polícia tenha cometido um erro, como insinua a revista "Focus", ao garantir que as forças de segurança fizeram tudo para impedir que o jovem continuasse o massacre.

Em sua fuga, após matar nove alunos e três professoras no colégio da localidade de Winnenden, no estado federado de Baden-Württemberg, Kretschmer assassinou um pedestre antes de chegar na localidade de Wendlingen, onde fica a concessionária de automóveis.

Poucos metros antes de chegar à concessionária, um policial que fazia parte do grupo de perseguição conseguiu ferir o jovem nas duas pernas, e depois Kretschmer sentou no chão, deixou a arma de lado e levantou as mãos, em sinal de rendição, disse a citada fonte.

No momento em que o policial que tinha disparado começou a caminhar em direção a Kretschmer, o jovem pegou novamente a arma, levantou, disparou contra o agente e fugiu até a concessionária, onde matou dois homens, disse a fonte.

A Procuradoria ressaltou que o agente estava "muito longe" do jovem, a cerca de 25 a 50 metros de distância, e que "certamente" fez tudo o possível para detê-lo.

Essas informações vêm da reconstrução dos fatos contida no relatório policial elaborado, segundo a Procuradoria, com base nas gravações das transmissões policiais e de alguns vídeos, como, por exemplo, das imagens registradas de um helicóptero da Polícia.

Kretschmer tinha matado antes nove alunos e três professoras na escola onde estudou. Por fim, o jovem se suicidou na concessionária de automóveis. EFE ih/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG