Autor de atentado contra CIA no Afeganistão era espião jordaniano

O autor do atentado suicida que provocou a morte de sete funcionários da CIA em 30 de dezembro no Afeganistão era um jordaniano recrutado pelos serviços de inteligência de seu país que trabalhava como agente duplo para a Al-Qaeda, informou o canal americano NBC News.

AFP |

A emissora, que cita fontes dos serviços de inteligência de países ocidentais, destacou que o jordaniano, identificado como Humam Khalil Abu Mulal al-Balawi, havia sido enviado ao Afeganistão com a missão de se encontrar com o número dois da Al-Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri.

Segundo a NBC News, o contato de Al-Balawi no Afeganistão foi o oitavo morto no atentado, um jordaniano identificado pela agência de notícias Petra como Ali bin Zeid, oficial dos serviços de informação da Jordânia.

"Este oficial era membro da família real hachemita, o que explica que o rei e a rainha tenham assistido ao funeral, e que tenha sido tratado como heroi nacional", explicou à AFP Bruce Riedel, ex-agente da CIA e conselheiro da Casa Branca.

Al-Balawi, segundo as fontes entrevistadas pela NBC, teria ligado para o contato na semana passada para dizer que devia se encontrar com a equipe da CIA baseada em Khost, leste do Afeganistão, porque tinha informações urgentes sobre Zawahiri.

"O terrorista parece ter sido enviado pelo próprio Ayman al-Zawahiri para cometer o atentado", completou Bruce Riedel, que destacou ainda precisar confirmar a informação.

O atentado foi reivindicado pelos talibãs.

jm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG