Autonomias não serão aplicadas sem aprovação da Carta Magna, diz Morales

La Paz, 25 set (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou hoje que é impossível aplicar as autonomias regionais no país sem a aprovação do projeto da nova Constituição Política do Estado, impulsionada por seu Governo.

EFE |

"Será impossível aplicar autonomias usando como base os chamados estatutos autônomos. É ilegal e é inconstitucional", disse o governante, horas depois de se reunir com os governadores regionais autonomistas.

O encontro aconteceu na cidade de Cochabamba, onde as duas partes voltarão a se reunir na próxima segunda-feira para continuar o diálogo iniciado há uma semana com o propósito de alcançar um acordo que solucione a crise política da Bolívia.

A oposição regional é formada pelos governadores de Santa Cruz, Beni e Tarija, que aprovaram estatutos autônomos em suas regiões que o Governo considera ilegais e separatistas.

Morales defendeu um "acordo para pacificar o país", no qual seu Governo e os governadores regionais garantam as autonomias não só para os departamentos, mas também para outras regiões, povoados indígenas e municípios.

Segundo Morales, esse acordo só será possível com a aprovação da nova Constituição em um referendo que deve ser convocado pelo Congresso. Seu partido controla a Câmara dos Deputados e a oposição o Senado.

Já os governadores regionais da oposição disseram que, além de fazer as mudanças necessárias no capítulo das autonomias no projeto da nova Carta Magna, também é preciso revisar outras reformas políticas propostas pelo Governo Morales. EFE ja/mh

    Leia tudo sobre: morales

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG