Austríaco combina flores com chocolate para resolver dúvida do que presentear

Jordi Kuhs. Viena, 21 mar (EFE).- Bombons artesanais feitos com pétalas e ramos de flores banhados em chocolate são a opção de uma pequena empresa austríaca para solucionar a eterna dúvida do que dar à pessoa querida.

EFE |

O profissional de informática de Viena Michael Diewald começou quando criança, nos anos 70, a colecionar - junto com seus avós - flores, cogumelos, frutos em bagos e todo tipo de plantas silvestres nas florestas ao redor da capital austríaca.

"Estudei e trabalhei em informática durante quase dez anos, o que hoje considero um 'erro de juventude'. No final voltei a minha vocação verdadeira: dedicar o tempo à natureza e trabalhar com plantas silvestres", conta o fundador da empresa Blühendes Konfekt, o que em português significa "bombom de flores".

Há uns 15 anos Diewald começou a fazer experiências com substâncias e sabores naturais para fabricar ovos de Páscoa, que dava para parentes e que vendia em uma loja de produtos biológicos.

Mas com a passagem dos anos sua paixão pelas plantas, especialmente as silvestres, se tornou uma obsessão que finalmente se transformou em sua nova profissão.

"Consegui criar meu próprio posto de trabalho", explica à Agência Efe com orgulho o austríaco em seu escritório, situado em um bairro central de Viena, que pode ser visitado de forma virtual no site www.bluehendes-konfekt.com.

Na pequena fábrica se amontoam em prateleiras os frascos com flores doces, marmeladas e outras substâncias que Diewald utiliza para a produção de seus bombons e chocolates especiais.

A empresa existe desde 2007 e conta com um salão de vendas e o mencionado escritório, onde Diewald brinca com sabores e prepara as matérias-primas para seus bombons.

A massa desses exclusivos bombons, cujo preço ronda os dois euros por unidade, costuma ser uma mistura de marzipã e diferentes nozes e chocolates, à qual depois são incorporadas as diferentes substâncias.

Um dos bombons mais exóticos é feito de extrato de abacaxi, marzipã, chocolate branco e pétalas de alfavaca.

"Memorizo os sabores para combinar diferentes aromas, como um jogador de xadrez que joga partidas inteiras em sua mente", assegura.

De fato, sua ideia inicial não foram os bombons, mas os ramos de flores banhados em chocolates.

Após o sucesso das flores Diewald começou a experimentar com os bombons, que hoje constituem a base principal de seu negócio e dos quais vende cerca de 50 mil unidades por ano.

A Blühendes Konfekt oferece 15 bombons diferentes, feitos com uma centena de extratos e pétalas de menta, lilás, pelargônio (um tipo de malva), rosas, saúco, hipericão (erva de São João), açafrão, pimenta, laranja, limão e gengibre, entre outras plantas.

Estas pequenas "obras de arte" culinárias são decoradas com pétalas e flores doces, o que lhes dá um toque único.

"Meu objetivo é conseguir as plantas por vias estranhas, através de amigos, nas florestas e pequenas hortas biológicas", conta Diewald, assegurando que trabalha apenas 30 horas por semana.

Segundo este empresário pouco convencional, ampliar demais o negócio romperia seu esquema de sustentabilidade, já que teria que recorrer a criadores e fornecedores convencionais.

Assim, a A Blühendes Konfekt vende seus produtos em Viena só no escritório, dos quais envia uma seleção limitada de seus bombons e ramos de chocolates a cafeterias de Salzburgo e de Berlim.

"O problema é o envio. Já tentamos de tudo, e a única coisa que funciona é transportar as caixas de carro e isso, com muito cuidado para que os bombons não quebrem", conta Diewald.

A empresa, que tem seis funcionários em tempo parcial, oferece seus bombons separadamente ou separados em caixas de entre três e vinte unidades, com temas como "Send me roses" ou "de Luxe". EFE jk/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG