Elisabeth Fritzl nunca mais quer ver o pai, diz irmã a jornal http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/14/vitimas_de_josef_fritzl_se_dirigem_a_opiniao_publica_pela_primeira_vez_1311314.htmlVítimas de Josef Fritzl se dirigem à opinião pública pela primeira vez http://ultimosegundo.ig.com.br/paulo_moreira_leite/2008/05/14/fui_abusada_por_meu_pai_diz_arlene_60_anos_1310803.htmlFui abusada por meu pai, diz Arlene, 60 anos" / Elisabeth Fritzl nunca mais quer ver o pai, diz irmã a jornal http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/14/vitimas_de_josef_fritzl_se_dirigem_a_opiniao_publica_pela_primeira_vez_1311314.htmlVítimas de Josef Fritzl se dirigem à opinião pública pela primeira vez http://ultimosegundo.ig.com.br/paulo_moreira_leite/2008/05/14/fui_abusada_por_meu_pai_diz_arlene_60_anos_1310803.htmlFui abusada por meu pai, diz Arlene, 60 anos" /

Austríaca refém por 8 anos depõe nesta quinta em caso contra mãe

A austríaca Natascha Kampusch comparecerá nesta quinta-feira pela primeira vez a um tribunal para depor sobre os oito anos em que esteve seqüestrada e mantida em cativeiro. Kampusch foi seqüestrada aos 10 anos de idade, em 1998, e permaneceu mais de oito anos em um pequeno porão, sem janelas, sob a garagem da casa de seu captor, Wolfgang Priklopil, no subúrbio de Viena. http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/05/12/elisabeth_fritzl_nunca_mais_quer_ver_o_pai_diz_irma_a_jornal_1308031.htmlElisabeth Fritzl nunca mais quer ver o pai, diz irmã a jornal http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/14/vitimas_de_josef_fritzl_se_dirigem_a_opiniao_publica_pela_primeira_vez_1311314.htmlVítimas de Josef Fritzl se dirigem à opinião pública pela primeira vez http://ultimosegundo.ig.com.br/paulo_moreira_leite/2008/05/14/fui_abusada_por_meu_pai_diz_arlene_60_anos_1310803.htmlFui abusada por meu pai, diz Arlene, 60 anos

BBC Brasil |

Ela conseguiu escapar em agosto de 2006. O caso teve grande repercussão internacional.

A audiência desta quinta-feira faz parte do processo movido por Martin Wabl - um juiz aposentado que acompanhou as investigações do caso - contra Brigitta Sirny, a mãe da Natascha.

Calúnia e difamação

Wabl acredita que Sirny esteve envolvida no seqüestro da filha e entregou ao juiz responsável pelo processo, Jürgen Schweiger, uma lista de nomes cujos depoimentos dariam sustentação à sua acusação.

AP
Natascha
Natascha escapou do cativeiro em 2006
Nesta quinta, no fórum civil da cidade de Graz, são esperados os depoimentos de Natascha Kampusch, de seu pai Ludwig Koch, do criminalista Ernst Geiger e do psiquiatra infantil Max Friedrich, além de vizinhos de Sirny e de ex-sócios do seqüestrador Wolfgang Priklopil.

O objetivo de Wabl é provar que havia uma ligação entre a mãe e o seqüestrador de Natascha Kampusch anterior à ocorrência do crime.

Brigitta Sirny se diz inocente e iniciou, de sua parte, um processo contra Martin Wabl por calúnia e difamação.

O depoimento de Natascha Kampusch despertou um enorme interesse da imprensa internacional, que também acompanha atentamente o caso de Josef Fritzl, o austríaco que manteve a filha presa no seu porão por 24 anos.

Cerca de 40 veículos de mídia foram credenciados para acompanhar os depoimentos desta quinta-feira no fórum de Graz.

O processo teve até de ser transferido para esta cidade já que o fórum inicial, na cidade de Gleisdorf, não suportaria a quantidade de pessoas interessadas em acompanhar as audiências.

Os depoimentos devem durar até o início da noite.

Leia mais sobre: seqüestro

    Leia tudo sobre: natascha kampusch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG