Áustria rejeita exigência de indenização do pai de Natascha Kampusch

Viena - Ludwig Koch, o pai de Natascha Kampusch, a jovem austríaca seqüestrada e trancada em um porão por oito anos, não receberá por enquanto nenhuma indenização por danos e prejuízos causados pela ausência de sua filha.

EFE |

O Estado austríaco rejeitou as exigências apresentadas pelo pai da jovem, que previam o pagamento de 100.000 euros por danos e outros 30.000 por despesas causadas pela busca de sua filha, disse hoje o advogado de Koch, segundo a imprensa local.

No entanto, o advogado Dieter Heck disse à agência "APA" que Koch apelará da decisão da Procuradoria financeira da Áustria.

Koch argumenta que o seqüestrador de Natascha, Wolfgang Priklopil, poderia ter sido descoberto muito antes, o que não teria acontecido devido a "diversos erros na investigação".

A Procuradoria afirma em sua decisão que não é possível determinar uma "atitude de culpabilidade" dos funcionários envolvidos na investigação do sumiço da menina.

Natascha Kampusch foi seqüestrada em março de 1998, quando tinha apenas 10 anos, e ficou refém de Priklopil até agosto de 2006, em um porão em sua casa na localidade de Strasshof, nas proximidades de Viena.

O seqüestrador se matou depois que a jovem conseguiu escapar do cativeiro, atirando-se em uma linha de trem.

Leia mais sobre: Natascha Kampusch

    Leia tudo sobre: natascha kampusch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG