Áustria incentivou construção de porões como o de Josef Fritzl na Guerra Fria

Viena, 29 abr (EFE).- A construção de porões como o usado por Josef Fritzl para manter presos durante anos sua filha e três crianças fruto de uma relação incestuosa entre ambos na cidade de Amstetten, na Áustria, recebeu incentivos estatais durante a Guerra Fria, pois serviriam de abrigo para um possível ataque nuclear.

EFE |

Segundo a Associação de Defesa Civil, citada hoje pelo jornal austríaco "Der Standard", milhares destes abrigos foram construídos com paredes resistentes o suficiente para impedir a entrada de gases em ataques militares.

Os refúgios também foram construídos para proteger as pessoas em um eventual acidente na usina nuclear tcheca de Temelin, a poucos quilômetros da fronteira com a Áustria.

Nas décadas de 70 e 80 do século passado, os proprietários de casas foram, inclusive, obrigados a construir porões e receberam para isto um incentivo de cerca de 30 mil xelins (cerca de 2.150 euros).

O refúgio construído por Josef Fritzl debaixo do jardim de sua casa provavelmente data deste mesmo período.

O caso de Josef Fritz, que manteve sua filha Elizabeth presa no porão por 24 anos, veio à tona esta semana, após ser descoberto pela Polícia local. A mulher, hoje com 42 dos anos, sofreu contínuos abusos sexuais de seu pai e teve sete filhos com ele. EFE rs/rr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG