Austrália usará normas rígidas caso acolha presos de Guantánamo

Sydney (Austrália), 2 jan (EFE).- O Governo da Austrália afirmou hoje que aplicará estritas normas de avaliação caso responda de forma positiva à solicitação dos Estados Unidos de acolher presos da base militar americana de Guantánamo em Cuba.

EFE |

A primeira-ministra Julia Gillard assinalou, em comunicado, que foi pedido a seu Governo e ao do Reino Unido que aceitem ajudar o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, a cumprir a promessa de fechar o campo de prisioneiros de Cuba.

"Qualquer um que seja aceito deverá cumprir os estritos requisitos legais da Austrália e passar por um rigoroso processo", apontou a primeira-ministra na nota dirigida à imprensa.

A Austrália se incorporou, desde o princípio, à coalizão internacional liderada pelos EUA para expulsar os talibãs do poder no Afeganistão em 2001, e depois formou também parte da que invadiu Iraque, em março de 2003.

No ano passado, o Governo Bush enviou a vários aliados europeus uma lista de detidos que poderiam ser libertados pelos EUA.

Segundo os militares americanos, dos 248 presos de Guantánamo, cerca de 60 receberam sinal verde para sua libertação. EFE mg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG