Austrália estuda processar presidente do Irã na Corte de Haia

Sydney (Austrália), 14 mai (EFE) - A Austrália estuda levar o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, perante a Corte Internacional de Justiça (CIJ) de Haia por incitar a violência contra Israel, anunciou hoje o primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd.

EFE |

"As reiteradas declarações extraordinárias do presidente do Irã, que são anti-semitas e expressam sua determinação de eliminar o Estado moderno de Israel do mapa, são espantosas para qualquer critério nas atuais relações internacionais", explicou Rudd.

O chefe do Executivo trabalhista prometeu durante sua campanha das últimas eleições gerais à comunidade judaica australiana que seu Governo avaliaria a possibilidade de apresentar uma denúncia contra o ultraconservador Ahmadinejad.

Rudd indicou que as declarações do líder da República Islâmica têm "um efeito no mundo todo Islâmico, e, em particular, para aqueles que olham para o Irã buscando um guia".

Ahmadinejad defendeu em reiteradas ocasiões "apagar Israel do mapa", nega o Holocausto nazista e o considera "uma invenção sionista" para justificar a criação do Estado judeu na Palestina.

EFE mg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG