Austrália detém quatro supostos terroristas que planejavam ataque a bases militares

MELBOURNE - A polícia australiana realizou uma grande operação antiterrorista nesta terça-feira, prendendo quatro homens que fariam parte de células terroristas que planejavam ataques suicidas a diversas bases do Exército do país.

Redação com AP |

Reuters

Polícia australiana cerca casa no subúrbio de Glenroy, Melbourne, que foi vasculhada por suposta ligação com o grupo acusado de planejar ataques terroristas no país

Acredita-se que o grupo com base em Melbourne seja ligado a uma organização islâmica extremista na Somália, conhecida por al-Shabaab, e que havia planejado usar armas automáticas em seus ataques, disse Tony Negus, comissário da polícia federal da Austrália.

"Na verdade, a intenção dos homens era se alojar no Exército e matar o máximo de soldados que conseguissem antes de serem mortos", disse Negus a jornalistas.

Os homens foram presos após 400 oficiais do Estado e da Segurança Nacional invadirem 19 propriedades no meio da madrugada, em Melbourne, disse Negus. Eles devem comparecer ao tribunal nesta terça-feira.

"Essa operação desmantelou um suposto ataque terrorista que poderia ter custado muitas vidas", disse ele.

Os homens detidos são cidadãos australianos com idades entre 22 e 26 anos, de acordo com a polícia de Victoria. Vários outros detidos estão sendo interrogados nesta segunda-feira (horário de Brasília). O grupo estava sendo investigado desde Janeiro, de acordo com Negus.

Os EUA designam a al-Shabaab como uma organização terrorista estrangeira. O relatório anual de terrorismo do Departamento de Estado, divulgado em abril, aponta que o grupo estava fornecendo proteção a elementos da Al-Qaeda procurados por causa dos bombardeios em 1998, nas embaixadas americanas no Quênia e na Tanzânia.

Leia mais sobre terrorismo

    Leia tudo sobre: ataquesuicídioterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG