Austrália convoca embaixador chinês por prisão de executivo da Rio Tinto

A Austrália convocou nesta segunda-feira para consultas o embaixador chinês pela terceira vez em uma semana, pelo caso do executivo do grupo mineração anglo-australiano Rio Tinto detido em Xangai sob suspeita de espionagem.

AFP |

O ministro das Relações Exteriores australiano, Stephen Smith, afirmou que seu país pediu ao embaixador chinês Hong Liang detalhes sobre o diretor da Rio Tinto Stern Hu, cidadão australiano, cuja prisão afeta as relações comerciais e diplomáticas entre os países.

"É a terceira vez que conversamos com o embaixador desde a segunda-feira da semana passada", afirma Smith em um comunicado, no qual acrescenta que as autoridades australianas também pedirão informações em Pequim.

Stern Hu foi detido em 5 de julho. As autoridades chinesas o acusam de espionagem e de roubar segredos de Estado, ao subornar diretores de siderúrgicas chinesas quando negociava o preço de venda do minério de ferro.

Uma fonte oficial chinesa afirmou que as negociações do preço continuam, apesar da prisão de Hu e outros três colegas chineses.

Funcionários do consulado australiano tiveram acesso a Hu na sexta-feira e afirmaram que ele era bem tratado. No entanto, segundo os protocolos diplomáticos, uma nova reunião só deve acontecer dentro de um mês.

Pequim ainda deve detalhar as acusações contra Hu, que coordenava as negociações sobre o preço do minério de ferro.

O gigante asiático é o maior consumidor mundial de minério de ferro, o principal elemento para a produção do aço.

ns/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG