Austrália ajudará a levar o fundador do WikiLeaks perante a justiça dos EUA

Sobre fundador também pesa uma ordem de busca e captura da Interpol por supostos abusos sexuais

EFE |

A Austrália anunciou neste domingo que colaborará com os Estados Unidos para levar perante a justiça ao fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, pela suposta publicação ilegal de milhares de documentos secretos, informou a imprensa local.

Reuters
A imagem da tela do computador mostra o site WikiLeaks com uma foto de seu fundador, Julian Assange em Bern, na Suíça
Sobre Assange, um cidadão australiano de 39 anos que pôs em evidência a diplomacia americana, também pesa uma ordem de busca e captura da Interpol por supostos abusos sexuais cometidos em agosto passado contra uma jovem na Suécia.

"As autoridades dos Estados Unidos estão investigando a possível violação das leis americanas e a Polícia Federal da Austrália está investigando se foram violadas as leis australianas", disse o procurador-geral australiano, Robert McClelland. "Prestaremos toda a ajuda às autoridades dos Estados Unidos", reiterou McClelland, acrescentando que a Austrália está considerando retirar o passaporte de Assange se for necessário, segundo o jornal "Sydney Morning Herald".

Por sua parte, o fundador do portal, que se declarou inocente de todas as acusações, criticou o Governo de seu país por abandoná-lo e colaborar com os EUA. "Durante as últimas semanas, a primeira-ministra australiana, Julia Gillard, e o procurador-geral, Robert McClelland, deixaram claro que meu retorno não só é impossível mas estão trabalhando ativamente com o Governo dos Estados Unidos em seus ataques contra mim e nossa gente", assinalou Assange no jornal britânico "The Guardian".

    Leia tudo sobre: documentos diplomáticosEUAwikileaks

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG