Ausência de bandeira da Venezuela marca Festa Nacional espanhola

Tradicional desfile lembra descoberta da América e surgimento do Império Espanhol. Presidente Zapatero foi vaiado no evento

EFE |

Madri recebeu nesta terça-feira o tradicional desfile militar de 12 de outubro realizado em função das comemorações pela Festa Nacional da Espanha, que lembra a descoberta da América e o surgimento do Império Espanhol.

AP
Aviões militares fizeram apresentação durante Festa Nacional Espanhola

Neste ano, o evento homenageou os nove países hispano-americanos que comemoram o bicentenário de sua independência. No entanto, a Venezuela, que também seria lembrada durante o desfile, ficou de fora da festa ao não levar um representante com sua bandeira.

O Rei da Espanha presidiu o desfile militar, assistido por uma multidão. Já a chegada do presidente do Governo, , ao evento, foi marcada por uma grande vaia por parte do público presente, que inclusive pediu sua renúncia.

No desfile estava prevista a participação das bandeiras de Venezuela, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Paraguai, Bolívia e México. No entanto, fontes do Ministério espanhol de Defesa informaram que a bandeira venezuelana não participou devido a um "mal-estar" sofrido por seu porta-estandarte, que teria sido informado com antecedência às autoridades locais pela Embaixada da Venezuela.

O fato coincide com a recente polêmica diplomática entre o país sul-americano e a Espanha por ocasião das informações que vinculam Arturo Cubillas, que ocupa um alto cargo no Ministério da Agricultura venezuelano, com a ETA.

AP
Presidente José Luis Rodríguez Zapatero, ao centro participa de festa

Segundo auto do juiz da Audiência Nacional espanhola Ismael Moreno emitido na semana passada, Cubillas participou em 2008 de treinamentos aos supostos membros da ETA Xabier Atristain e Juan Carlos Besance, detidos na Espanha há poucos dias.

O Governo de Chávez decidiu abrir então uma investigação sobre as atividades de Cubillas. Milhares de madrilenhos, com bandeiras usadas para comemorar o título da seleção espanhola na última Copa do Mundo, assistiram ao desfile, que neste ano foi mais curto, discreto e teve menos participantes do que em edições recentes - contou com cerca de 3 mil militares frente aos 4.207 de 2009.

Junto aos reis Juan Carlos e Sofía estiveram os príncipes de Astúrias, a infanta Elena e os duques de Palma, todos na tribuna principal, montada na praça de Lima. Além das máximas autoridades do Estado, entre elas os presidentes do Congresso e Senado, e membros do Governo, também foram ao desfile a cúpula militar, liderada pelo Chefe de Estado-Maior da Defesa, general José Julio Rodríguez, e líderes dos partidos políticos, entre eles o líder da oposição, o conservador Mariano Rajoy.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG