Aumento do cultivo de coca na Bolívia preocupa ONU

Viena, 24 fev (EFE).- A Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) demonstrou hoje sua preocupação com o aumento da superfície de cultivo de coca na Bolívia e o seu uso em práticas tradicionais como o mascado e o preparo de chá.

EFE |

O órgão, subordinado à ONU e encarregado de velar pelo cumprimento da legislação internacional sobre drogas, "observa com preocupação" que, apesar das medidas de controle aplicadas pela Bolívia, nos últimos anos aumentaram tanto a superfície total declarada de cultivo da planta de coca como a produção da folha de coca.

Segundo um relatório da Jife, de 2000 até 2008, dobrou a superfície de coca cultivada em solo boliviano, até chegar a 30.500 hectares.

Além disso, em 2008, diminuiu a superfície erradicada da planta, para 5.483 hectares, a segunda menor desde 1995.

Para o órgão da ONU, que no ano passado enviou uma missão à Bolívia, o fato é preocupante por aumentar "o risco de a folha de coca ser desviada para sua utilização na fabricação ilícita de cocaína".

Por isso, "a Junta pede ao Governo boliviano que adote políticas mais eficazes e assuma um papel mais dinâmico na eliminação do cultivo da planta de coca e da produção de folha de coca no país, e que enfrente com firmeza a fabricação e o tráfico ilícitos de cocaína".

No documento, a Jife lembra ainda que práticas tradicionais na Bolívia, como o mascado ou o consumo de chá de coca, "continuam sendo atividades ilícitas, de acordo com as disposições da Convenção" sobre drogas de 1961.

Portanto, o Governo boliviano terá de "velar pelo pleno cumprimento das obrigações assumidas em virtude desse tratado, inclusive a obrigação de acabar com todos os usos da folha de coca com fins diferentes dos previstos na convenção". EFE ll/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG