Londres, 18 fev (EFE).- Dezenas de milhares de afegãos estão sendo obrigados a deixar suas casas e a se deslocar devido ao aumento da violência e da fome no Afeganistão, denunciou hoje a organização pró-direitos humanos Anistia Internacional (AI).

Em comunicado emitido em sua sede de Londres, a AI ressaltou que esses cidadãos precisam de "assistência humanitária imediata", e pediu à comunidade internacional para aplicar uma "estratégia exaustiva" para ajudar o povo afegão.

A entidade fez o apelo um dia depois que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou o envio de 17 mil soldados adicionais no Afeganistão, e pediu a outros países para comprometer mais tropas a essa causa.

"Os Estados Unidos e a comunidade internacional deveriam adotar um enfoque que destaque os direitos e bem-estar do povo afegão, e não só se centre em uma solução militar", afirmou o diretor da AI para a Ásia-Pacífico, Sam Zarifi.

A Anistia lembra que 235 mil pessoas se encontram, atualmente, deslocadas no país, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

"A maioria delas está deslocada como resultado da luta entre forças governamentais (e tropas aliadas dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte) e grupos armados de oposição, incluindo os talibãs, no sul, sudeste e noroeste do Afeganistão".

Além disso, a violência, insiste a AI, "agravou os efeitos da atual seca e da crescente insegurança alimentar no norte e no oeste do país, e forçou milhares de famílias a buscar abrigo em áreas relativamente mais seguras e ricas, como Herat e Cabul". EFE pa/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.