Aumentam denúncias na Áustria sobre abusos sexuais na Igreja Católica

Viena, 10 mar (EFE).- O escândalo de abusos sexuais de menores na Igreja Católica ganha força após um padre austríaco ter confessado ter abusado de dezenas de crianças nas décadas de 1970 e 1980.

EFE |

O padre capuchinho Johannes Stocker deixou hoje seu posto após confessar haver abusado e assediado sexualmente vários menores nos anos 70 e 80.

Stocker reconheceu ter abusado de cerca de 20 crianças, conforme comunicado do bispo de Eisenstadt, Paul Iby.

O anúncio foi feito hoje, poucas horas depois de o semanário "Falter" publicar uma matéria em que três homens relatam com detalhes as agressões que sofriam de Stocker.

O jornal critica especialmente a política da Igreja, em especial a atitude do bispo Iby. Confrontado há dez anos com as acusações contra o padre, ele se limitou a recomendar ao sacerdote duas sessões com uma psicóloga.

Outro sacerdote, de 74 anos, também reconheceu ter abusado de vários adolescentes em um internato privado do mosteiro de Mehrerau.

Ele foi forçado a entrar em férias e permanece "sob observação" das autoridades eclesiásticas, informou a diocese da cidade austríaca de Innsbruck.

"A onda chegou à Áustria", destacou o diário "Die Presse". O jornal faz eco ao número crescente de casos de pedofilia nos institutos católicos austríacos que, acontecidos em sua maioria há três ou quatro décadas, saíram à luz nos últimos dias.

As revelações fizeram as denúncias contra as dioceses do se multiplicarem. Este ano foram registradas 12 acusações apenas em Viena, mesmo número que em todo o ano de 2009. Em Graz, a segunda maior cidade do país, já são 11, o que corresponde a soma de todas as denúncias dos últimos quinze anos.

Segundo a televisão pública "ORF", espera-se que o número de casos aumente, já que agora as vítimas encontraram o clima para contar o que passou.

Até o momento, apenas um sacerdote acusado foi punido e afastado da Igreja. Os demais só mudaram de posto.

A reação a esse tipo de denúncia depende de cada diocese. Se o caso não está prescrito e a vítima estiver de acordo, é possível comunicar a Polícia.

As autoridades austríacas encontraram cerca de 400 arquivos com pornografia infantil em um computador de um sacerdote da Baixa Áustria.

O caso, cuja investigação começou em meados de fevereiro, será levado à justiça. Segundo o jornal "Kurier", o padre se retirou para um mosteiro onde recebe tratamento psicológico. EFE wr/pb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG