Aumenta participação nas eleições em Israel

JERUSALÉM - A participação no início da tarde nas eleições gerais que acontecem nesta terça-feira em Israel é três pontos percentuais superior à registrada no pleito anterior, de março de 2006, informa a imprensa local.

Redação com agências internacionais |

Às 14h (10h de Brasília), a participação ficou em 34%, em contraste com o 31% do pleito anterior, um aumento que vem sendo registrado desde o dado de participação informado às 12h (8h de Brasília).

Israelenses vão às urnas

Mais de 5,2 milhões de israelenses foram convocados às urnas , em eleições às quais concorrem 34 formações políticas, e nas quais partem como favoritos o conservador Likud, liderado por Benjamin Netanyahu , seguido por uma pequena margem pelo partido governante Kadima, liderado por Tzipi Livni .


Netanyahu faz propaganda em Israel / AP

A maioria dos candidatos eleitorais foi votar pela manhã e pediu aos israelenses que fossem maciçamente às urnas.

Um dos últimos a votar foi Netanyahu, que votou em Jerusalém, onde afirmou que "o povo quer uma mudança e escolherá hoje". Livni emitiu seu voto em Tel Aviv no começo da manhã e disse confiar em que "muita gente" colocará na urna a mesma cédula que ela.

O cabeça de lista do partido de extrema direita Yisrael Beiteinu, Avigdor Lieberman, votou em colégio do assentamento judaico de Nokdin, na Cisjordânia, e pediu a todos os cidadãos de Israel, "cristãos, muçulmanos e judeus", que votem e lembrem que "há um partido que pode fazer o trabalho".

O líder do Partido Trabalhista, Ehud Barak, depositou seu voto em Tel Aviv, onde se mostrou confiante de que sua legenda sairá fortalecida das urnas.


Palestina caminha em frente a cartaz de Livni / AP

Segurança reforçada

As eleições, por enquanto, desenvolvem-se sem incidentes, com exceção do registrado na localidade árabe-israelense de Umm al-Fahm, onde o candidato de extrema-direita Baruch Marzel tentou ir como representante de seu partido para fazer parte do comitê de supervisão eleitoral.

A polícia não permitiu a entrada de Marzel na localidade, depois que dezenas de manifestantes bloquearam os acessos para impedir ele, a quem consideram um "racista e fascista", estivesse presente nos colégios eleitorais.

As forças de segurança israelenses estão em alerta por ocasião das eleições e intensificaram as precauções nas localidades fronteiriças do norte do país e com a Faixa de Gaza.

Urna é vista em posto militar de Israel
Urna de votação é vista em posto militar de Israel

Leia também:

Leia mais sobre eleições em Israel

* Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: eleições em israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG