Pequim, 12 jan (EFE).- O Ministério da Saúde chinês aumentou hoje o número de bebês doentes por consumir leite adulterado com melamina para 296.

000, após fazer um exame médico em 22,4 milhões de crianças que tinham ingerido a substância química, informou hoje a agência estatal "Xinhua".

As últimas números oficiais estabeleciam o número de afetados em 294.000 crianças em toda a China.

Até agora, o Governo chinês reconhece de forma oficial a morte de seis bebês por intoxicação com melamina, embora poderia haver mais casos, como o de um bebê alimentado desde seu nascimento com leite contaminado e diagnosticado com cálculos no rim, que morreu em 6 de janeiro na província chinesa de Shandong (nordeste).

Segundo o porta-voz do Ministério, Mao Qun, 52.898 crianças doentes foram tratadas em hospitais de todo o país até o final de dezembro, dos quais só 316 continuam doentes.

No entanto, um dos pais de uma criança afetada, Zhao Linhai, denunciou no começo de janeiro que se desconhece o nível de gravidade da intoxicação, já que não se sabe quais são as seqüelas da ingestão de melamina, um componente químico usado para fabricar plásticos que foi acrescentado ao leite para enganar os detectores de proteínas.

Zhao assegurou que muitos das crianças que saíram do tratamento e que supostamente estavam fora de perigo, estão desenvolvendo de novo cálculos renais. EFE trr/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.