As universidades de Oxford e Cambridge, na Grã-Bretanha, vão oferecer palestras de importantes acadêmicos no iTunes, o serviço de disponibilização de áudio pela internet. Cambridge disse que vai colocar o trabalho de seus prêmios Nobel ao alcance do grande público e Oxford anunciou que vai oferecer 150 horas de vídeo e áudio dos grandes pensadores do mundo.

Outras universidades britânicas já vinham oferecendo palestras e aulas pela internet.

Agora, Cambridge e Oxford, universidades de elite do país, decidiram seguir o exemplo e vão oferecer conteúdo educacional gratuitamente pelo iTunes.

Uma porta-voz da Universidade de Cambridge disse que a idéia é "levantar o véu" que cobre a universidade, usando iTunes para colocar palestras e aulas de seus especialistas em domínio público.

Biblioteca Online

Segundo a porta-voz, o usuário poderá acessar, por exemplo, uma palestra do historiador David Starkey, música do coral do St John's College e aulas de físicos que vão "destrinchar a ciência" até as suas bases.

A Universidade de Oxford vai usar o iTunes para divulgar pesquisas e permitir que o público ouça os grandes pensadores do mundo falando sobre assuntos atuais, informou a instituição.

Entre as contribuições da universidade estarão o economista Joseph Stiglitz discutindo a crise financeira no mundo e o geneticista Craig Venter falando sobre genoma.

Também serão disponibilizadas informações sobre a universidade para estudantes em potencial.

Várias universidades da Grã-Bretanha instalaram serviços para baixar áudio de graça dentro da área de educação do iTunes (iTunes U, lançado pela Apple há um ano), entre elas, a University College London e a Open University.

O programa permite que as universidades criem uma biblioteca de palestras que podem ser ouvidas em computadores e iPods.

Cambridge já colocava material na internet, mas a universidade diz que agora, pela primeira vez, os arquivos estarão disponíveis em um lugar só, permitindo que as pessoas façam buscas "por todo o catálogo".

Leia mais sobre  Oxford e Cambridge

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.