Audiências são adiadas após Fujimori apresentar febre e hipertensão

Lima, 18 mar (EFE).- O ex-presidente peruano Alberto Fujimori apresentou hoje febre e aumento da pressão arterial, o que obrigou o tribunal que o julga por violações aos direitos humanos a suspender o processo até a próxima semana.

EFE |

A Vara Criminal Especial da Corte Suprema, presidida pelo juiz César San Martín, tomou a decisão depois que Fujimori foi examinado pelo médico Eloy Loayza, representante do Instituto de Medicina Legal.

Segundo o diagnóstico, o ex-presidente teve um quadro de hipertensão e febre causada por uma forte faringite.

San Martín disse que as audiências seriam suspensas até segunda-feira, mas afirmou que na próxima semana acontecerão três sessões, inclusive na sexta-feira, para recuperar a de hoje.

O advogado de Fujimori, César Nagasaki, seguiu hoje com as alegações finais da defesa, depois que, na segunda-feira, o tribunal lhe concedeu mais quatro sessões para terminar de expor seus argumentos.

Nagazaki anunciou que "é muito provável" que volte a pedir mais várias sessões para concluir suas alegações, por isso considerou "prematuro" dizer que Fujimori tomará a palavra em apenas duas semanas.

O advogado lembrou que a defesa tem direito de pedir quantas sessões suplementares quiser sem prazo limite, mas há critérios de limitação: que os argumentos não sejam repetidos e que sejam importantes.

Fujimori enfrenta uma pena de 30 anos de prisão pela suposta responsabilidade na morte de 25 pessoas nos massacres de Barrios Altos (1991) e La Cantuta (1992), além dos sequestros do jornalista Gustavo Gorriti e do empresário Samuel Dyer, após o "autogolpe" de Estado de 1992. EFE dub/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG