Audiência internacional é receita de times ingleses contra a crise

O sucesso internacional de audiência televisiva do campeonato inglês, que começa neste final de semana, vem ajudando os clubes do país a driblar a crise econômica mundial. Nesta temporada de 2009/10, os lucros devem superar a marca de 1 bilhão de libras (cerca de R$ 3,3 bilhões).

BBC Brasil |

Os jogos vão ser transmitidos para 575 milhões de lares em 211 territórios em todo o mundo.

O acordo atual para a transmissão fora da Grã-Bretanha, válido de 2007 a 2010, é de 625 milhões de libras, representando um terço do faturamento anual da Premier League com TV.

A Premier League, liga dos 20 times da primeira divisão do futebol inglês, funciona como uma corporação, na qual os clubes são os acionistas.

Segundo seu chefe-executivo, Richard Scudamore, o dinheiro de fora em breve pode superar o que vem de dentro do país.

Acredita-se, por exemplo, que o canal Abu Dhabi Sports Channel pagou quase 200 milhões de libras pelos direitos de transmissão no Oriente Médio e norte da África, quase três vezes o que o canal Showtime Arabia havia pago da última vez.

As negociações internacionais com outros 97 parceiros internacionais devem ser finalizadas nos próximos três ou quatro meses.

Importância
Boa parte dos expectadores está na China, onde os jogos vão ser transmitidos na TV aberta. Quando tentou-se colocar as partidas no sistema pay per view, a audiência caiu de 30 milhões para 20 mil pessoas por jogo.

Os clubes ingleses também vêm aumentando suas receitas com excursões internacionais.

Todos os clubes da Premier League, incluindo os pequenos Hull e Burnley, realizaram jogos de pré-temporada no exterior. O atual campeão, Chelsea, faturou mais de 2 milhões de libras por sua excursão pelos EUA.

Embora apenas quatro dos 20 clubes da Premier League tenham vendido menos ingressos para esta temporada do que na anterior - os tíquetes são vendidos em carnês para sócios-torcedores antes do início do torneio - analistas dizem que existem indícios de que os times ingleses começaram a sentir os efeitos da crise econômica, como uma diminuição dos serviços contratados por empresas.

Neste contexto, o dinheiro vindo do exterior ganha uma importância ainda maior.

Internacionalização
Os próprios clubes vêm rumando nos últimos anos para uma internacionalização de seus elencos cada vez maior.

Há 20 anos, na temporada 89/90, clubes de ponta, como o Manchester United e o Arsenal, apresentavam apenas um ou dois estrangeiros no elenco.

Em 2005, o Arsenal se tornou o primeiro time da Inglaterra a entrar em campo sem um único jogador inglês.

Atualmente, os times da Premier League têm em média 13 jogadores nascidos no exterior em seus plantéis, mesmo com a Inglaterra sendo um dos países da União Europeia com as regras mais duras para conceder permissão de trabalho para não-europeus.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG