Segundo oposição, Marzie Vafamehrha foi presa por participar de um filme crítico ao governo do Irã

Marzie Vafamehrha, em cena do filme
Reprodução
Marzie Vafamehrha, em cena do filme "Teherane Man Haray"
A atriz iraniana Marzie Vafamehrha foi condenada a um ano de prisão e 90 chicotadas por participar de um filme crítico ao governo, afirmou o site opositor Kalameh nesta segunda-feira.

Segundo o site, a sentença foi decretada no domingo por um tribunal de Teerã e o advogado da atriz apresentou um recurso à instância judicial superior.

Mulher do cineasta Naser Taghvai, Marzie teria sido detida no final de junho por atuar no filme “Teherane Man Haray” (“Minha Teerã à Venda”, em tradução livre).

A produção conta a história de uma jovem atriz que tem seu trabalho banido no Irã e tenta viajar para a Austrália.

Produzido por uma empresa australiana e dirigido pela iraniana Granaz Musavi, que mora na Austrália, o filme foi premiado no Festival de Cinema de Adelaide em 2009, mas proibido no Irã.

Taghvai declarou ao site Kalameh que outros artistas envolvidos no filme também foram presas, mas somente Marzie foi condenada. Segundo o cineasta iraniano, o filme contava com a permissão do Ministério de Cultura e Orientação Islâmica.

"Marzie está em uma prisão de Garchak, uma província de Teerã. O local é um antigo galinheiro que não apresenta as mínimas condições de higiene", completou o marido da atriz.

Taghvai acrescentou que o filme, antes vendido por menos de US$ 1 no mercado negro iraniano, agora está custando US$ 6.

Com AP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.