Tamanho do texto

A atriz britânica Helen Mirren admitiu ter usado cocaína na década de 1980, mas disse que deixou de consumi-la quando soube que o criminoso de guerra nazista Klaus Barbie se dedicava ao narcotráfico - em uma entrevista publicada pela revista GQ, em seu número de outubro.

Helen, de 63 anos, que ganhou um Oscar por seu papel em "A rainha", no qual interpreta Elizabeth II, confessou que também experimentou maconha e LSD.

Quando lhe perguntaram se havia usado substâncias ilegais, Helen admitiu, primeiramente, ter "fumado um pouco de erva, quando era mais jovem".

Diante da insistência do entrevistador, acrescentou: "também um pouco de cocaína. Eu gostava. Nunca usei muita, apenas um pouco nas festas".

"Mas o que me fez deixar isso, foi quando prenderam Klaus Barbie, o carniceiro de Lyon (chefe da Gestapo nessa cidade francesa, entre 1942 e 1944) nos anos 1980. Ele se escondia na América do Sul e vivia da renda de seu negócio de cocaína", contou.

"Estava lendo tudo isso nos jornais, quando compreendi que o fato de usar um pouco de cocaína em uma festa tinha uma ligação direta com esse tipo horrível de América do Sul", comentou a atriz.

A partir desse dia, "nunca voltei a tocar na cocaína", garantiu.

lgo/tt