Atos pró-Zelaya prejudicam economia de Honduras, diz ministra

Tegucigalpa, 8 ago (EFE).- A economia hondurenha sofreu perdas no valor de US$ 36,8 milhões por dia pelas passeatas e pelos bloqueios de estradas do movimento que apoia o presidente deposto Manuel Zelaya, calculou a nova ministra de Finanças, Gabriela Núñez, em entrevista publicada hoje pela imprensa local.

EFE |

Estas perdas se somam à deterioração que a economia já sofria pela crise internacional, disse Núñez.

"As estimativas preliminares", expressou, "indicam que Honduras pode perder diariamente cerca de 700 milhões de lempiras (US$ 36,8 milhões) só pelo atraso ou a perda de confiança no movimento dos produtos e serviços" pelos protestos.

"A economia já vinha ressentindo os efeitos da crise financeira internacional", por isso o Índice Mensal de Atividade Econômica, calculado pelo Banco Central de Honduras (BCH), nos meses anteriores a junho já vinha refletindo uma contração, segundo a ministra.

Núñez ressaltou que "esse efeito continua se prolongando pela crise internacional, mas, aliado a uma paralisação do movimento de produtos ou das pessoas que têm que prestar um serviço ou fazer um trabalho (...), também faz com que se veja um efeito de diminuição na atividade econômica". EFE lam/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG