Atos de violência étnica deixam 31 mortos no norte da Índia

Os dois dias de enfrentamentos entre a polícia e membros da comunidade étnica gujjar já causaram a morte de 31 pessoas no estado indiano do Rajastão (norte), informou neste sábado o ministro do Interior do Rajastão, Gulab Chand Kataria.

AFP |

Dezesseis pessoas morreram na sexta-feira e 15 neste sábado, segundo Kataria, que está em Jaipur, capital provincial. Há também 12 feridos.

Os membros da comunidade gujjar protestam porque exigem que o governo dê a eles um estatuto especial já concedido a outros grupos étnicos, através do qual podem se candidatar a empregos públicos e a vantagens no sistema educacional.

"Hoje (sábado) os policiais dispararam contra os manifestantes violentos que incendiaram uma delegacia de polícia", explicou o ministro.

"Quinze pessoas morreram por causa dos disparos da polícia", concluiu.

As autoridades proibiram grandes concentrações em 11 dos 32 distritos do Rajastão para acabar com os protestos, informou Kataria.

Os gujjars, que representam cerca de 5% da população do Rajastão e tradicionalmente se dedicam ao pastoreio, já haviam se manifestado contra o governo no ano passado, em uma campanha que também culminou em atos de violência que deixaram 28 mortos.

Na época, o governo prometeu criar uma comissão para estudar o caso da comunidade, mas se recusou a conceder o estatuto especial.

str-pc/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG