Washington, 16 jan (EFE).- Pacifistas vestidos com macacões laranjas pediram hoje, às portas da Casa Branca, o fechamento da prisão de Guantánamo, como parte das atividades de protesto que serão realizadas em Washington durante 100 dias.

Esta é a forma do grupo de protestar contra o "horror que vivem os 250 presos que ainda permanecem confinados em Guantánamo", disse a porta-voz dos manifestantes, Carmen Trotta.

Com cartazes e ao grito de "Guantánamo é um crime", os manifestantes, vestidos com os macacões laranjas usados pelos réus nos Estados Unidos, pediram ao futuro presidente, Barack Obama, que não se esqueça de suas promessas eleitorais.

Os ativistas lembraram que, durante a campanha, Obama prometeu tirar de Guantánamo os presos que ainda permanecem nessa prisão.

No entanto, em entrevista recente, Obama disse que fechar o centro de detenção nos primeiros 100 dias de seu Governo "é mais difícil" do que as pessoas pensam.

"Guantánamo é um crime, Guantánamo precisa ser fechada imediatamente. Não há razão para que a nova Administração não a feche nos 100 primeiros dias", assegurou Trotta.

Os manifestantes anunciaram que continuarão com protestos e passeatas por Washington até que Obama torne realidade seu pedido.

Este será um dos assuntos que o novo líder herdará do presidente George W. Bush quando assumir o cargo, na terça-feira.

Trotta lembrou que, desde que a prisão foi aberta, mais de 800 presos passaram pelas celas da base naval americana. "A maioria delas não foi acusada de nada", lamentou. EFE elv/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.