Ativistas são presos tentando exibir bandeira do Tibete em Pequim

Uma hora antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, nesta sexta-feira, três manifestantes tentaram exibir bandeiras nacionais do Tibete na porta do Estádio Nacional, o Ninho de Pássaro, e foram detidos. Os ativistas da organização não-governamental Students for a Free Tibet (Estudantes por um Tibete Livre) foram presos por seguranças menos de um minuto depois de exibir as bandeiras tibetanas na área Olímpica.

BBC Brasil |

A ONG disse que os três manifestantes são os americanos Jonathan Stribling-Uss, de 27 anos, Kalaya'an Mendoza, de 29 anos, e César Pablo Maxit, 32, cidadão americano e argentino.

"O governo chinês quer que o mundo se maravilhe e se distraia com a grandeza da cerimônia de abertura, mas a verdade é que sua verdadeira inescrupulosa face pode ser vista na intensificação da repressão do povo do Tibete", disse a organização em nota.

Protestos
Segundo a organização, apoiadores da causa tibetana pretendem fazer manifestações ainda hoje em diversas cidades do mundo, como Santiago, Montevidéu, Nova Iorque, Londres, Toronto, Varsóvia, Nova Déli e Brisbaine.

Em Paris, manifestantes tentaram fazer um protesto em frente à embaixada da China.

Na terça-feira, a mesma organização conseguiu fazer uma manifestação e estendeu por quase uma hora duas bandeiras com palavras de ordem em frente ao Ninho de Pássaro.

Na ocasião, os quatro manifestantes que participaram do protesto foram detidos e depois deportados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG