Ativistas sabotam equipamento de satélites militares na Nova Zelândia

Sydney (Austrália), 30 abr (EFE).- Um grupo pacifista anunciou que seus membros conseguiram penetrar hoje em uma base militar da Nova Zelândia e destruir parte do equipamento usado no transporte de satélites de defesa.

EFE |

O fato ocorreu no começo da manhã, quando os ativistas da organização Anzac Ploughshares invadiram as instalações da base de Waihopai na região neo-zelandesa de Marlborough e usaram foices para destruir uma enorme câmara de proteção de 30 metros de altura.

Em seguida, os pacifistas se ajoelharam e rezaram em memória de todas as vítimas pela atividade militar dos Estados Unidos.

As instalações de Waihopai são operadas pelos serviços de inteligência neozelandeses, acusados por grupos militantes de esquerda de colaborar com a Echelon, a rede de espionagem do Conselho de Segurança Nacional dos EUA.

"Esta guerra acaba de começar e não terminará até que os cidadãos de todo o mundo assim o permitam", assinalou a Anzac Ploughshares em comunicado, no qual exigiu o fechamento imediato da base.

Além disso, o grupo assegurou que em 2003 Washington empregou os sistemas de vigilância de Waihopai para espionar diplomatas do Conselho de Segurança da ONU, quando tentava ganhar apoio para a invasão do Iraque.

O Governo neozelandês, apesar de ser um firme aliado dos Estados Unidos na guerra contra o terrorismo, oficialmente se opôs ao conflito, mas a Anzac Ploughshares sustenta que a respaldou secretamente.

A organização, que protagonizou no passado atos de sabotagem contra instalações militares na Nova Zelândia, se compromete em seu site a seguir em frente com sua luta contra todos os "instrumentos da morte". EFE mg/iw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG