Ativistas rejeitam plano egípcio para entrar em Gaza

Cairo, 30 dez (EFE).- Os coordenadores da manifestação de solidariedade a Gaza que estão bloqueados no Egito há quatro dias rejeitaram hoje uma proposta das autoridades egípcias para que 100 dos 1,362 mil delegados que estão no país possam atravessar para o território palestino.

EFE |

Segundo um comunicado do comitê de coordenação da manifestação, os ativistas "continuarão lutando" para que todos possam entrar neste território palestino com o objetivo de mostrar sua solidariedade aos palestinos e sua rejeição ao bloqueio internacional contra Gaza.

"Rejeitamos plenamente o gesto simbólico oferecido pelo Egito (...). Nosso grupo continuará trabalhando para que os 1,362 mil participantes entrem em Gaza como um passo para o objetivo final de colocar fim ao assédio e para a libertação da Palestina", afirma Ziyad Lunat, um dos organizadores, segundo a nota.

A manifestação foi proibida pelo Governo egípcio em meados de mês, que advertiu aos ativistas que não permitiria que atravessassem a fronteira.

Desde o último dia 27, ativistas de 43 países lançaram diversas iniciativas para pressionar o Governo do Egito, com o objetivo de que este permita que a manifestação chegue a Gaza e participe de um ato previsto para amanhã. EFE jfu/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG