Ativistas protestam contra presença de embarcação dos EUA na Criméia

Kiev, 1 set (EFE) - Ativistas pró-russos protestaram hoje no porto ucraniano de Sebastopol (a península da Criméia), sede da frota russa do Mar Negro, contra a presença da embarcação da guarda-costeira americana USS Dallas.

EFE |

O ato, do qual participaram dezenas de ativistas com bandeiras russas, impediu que a tripulação da embarcação americana descesse para terra, informaram as agências ucranianas.

As autoridades locais informaram que os Estados Unidos tinham pedido permissão, há um mês, para que o "USS Dallas" fizesse uma escala técnica de várias horas em Sebastopol (Mar Negro) para fazer provisão com água e alimentos.

A tensão aumentou em toda a península da Criméia, habitada majoritariamente por russos e com uma importante minoria tártara, desde o início do conflito entre Rússia e Geórgia.

A declaração do presidente russo, Dmitri Medvedev, de que Moscou protegerá os russos além de suas fronteiras fez crescer a preocupação em Kiev, que teme que, na Criméia, se repita o que aconteceu na região separatista georgiana da Ossétia do Sul.

Grupos nacionalistas pró-russos na Criméia, além de vários políticos russos, protagonizaram, nas últimas semanas, vários atos públicos nos quais proclamaram que a Criméia deveria se integrar na Federação Russa.

No domingo, por ocasião do dia da independência, o presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, advertiu de que a Frota russa do Mar Negro deverá abandonar o território da Ucrânia em 2017, quando vence o convênio bilateral para o lugar provisório em Sebastopol.

Enquanto isso, a Rússia expressou hoje, novamente, seu mal-estar com a presença no Mar Negro de várias fragatas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que, por sua parte, insiste em que a missão destas é rotineira e que "não tem relação com a crise da Geórgia". EFE bk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG