Em 2006, banda tornou-se alvo de críticas ao transferir parte de seus negócios para a Holanda

Um grupo que combate a evasão fiscal de empresas e famosos protestará no próximo festival de música de Glastonbury (Inglaterra) contra o músico irlandês Bono e sua banda U2, que os acusa desse tipo de práticas. Segundo o jornal The Guardian , os militantes do grupo "Art Uncut" não interromperão o show de Bono nesse popular festival, mas levarão cartazes com as palavras "Bono, paga o que deve" iluminadas e bem visíveis.

Banda de Bono incentiva evasão fiscal, dizem manifestantes
Getty Images
Banda de Bono incentiva evasão fiscal, dizem manifestantes
"Bono se diz preocupado pelo mundo em desenvolvimento, mas sua banda U2 se dedica, ambiciosa, a evitar o pagamento de impostos, uma prática que prejudica os países pobres", disse um porta-voz desse grupo. Os ativistas também querem chamar a atenção do impacto da evasão fiscal nas finanças públicas da Irlanda em seus hospitais e suas escolas.

Em 2006, o U2 recebeu fortes críticas ao transferir parte de seus negócios à Holanda em resposta ao teto que a Fazenda irlandesa impôs às bonificações fiscais para os artistas. Segundo Sheila Killian, da Universidade de Limerick (Irlanda), o teto de 250 mil euros estabelecido pelas autoridades é suficientemente generoso para a maioria dos artistas.

Richard Murphy, outro ativista citado pelo The Guardian , afirma que "se Bono acha que é um irlandês a mais, deve pagar seus impostos, como os outros fazem. Só assim sairá da confusão que se meteu". O agente do grupo, Paul McGuinness, justifica que o "U2 atua em nível global e paga de impostos globalmente. Pelo menos 95% de seus shows são fora da Irlanda e a banda paga diferentes tipos de impostos no mundo todo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.