A Anistia Internacional e um grupo pró-Tibete se declararam escandalizados nesta sexta-feira com a promessa da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, de não deixar que preocupações com os direitos humanos dificultem a cooperação dos Estados Unidos com a China.

Em sua primeira visita à Ásia como chefe da diplomacia, Clinton disse que os Estados Unidos vão continuar pressionando a China por questões sobre direitos humanos como, por exemplo, seu domínio sobre o Tibete.

"Mas nossas pressões sobre estes assuntos não podem interferir na crise econômica mundial, na mudança climática global e na crise que tem a ver com a segurança", disse Hillary Clinton à imprensa em Seúl, antes de partir para Pequim.

T. Kumar, da Anistia Internacional Estados Unidos, disse que o grupo ficou "extremamente decepcionado" com os comentários.

O governo chinês deu as boas-vindas ao governo Barack Obama, mas com nervosismo, considerando que poderia pressioná-lo mais, por assuntos ligados aos direitos humanos e ao comércio, do que seu predecessor George W. Bush.

sct/mac/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.