Ativistas do Greenpeace são presos por pintar frases de protesto em navios australianos

BRISBANE - Nove ativistas ecológicos do Greenpeace foram detidos nesta segunda-feira depois de pintar frases contra o uso do carvão em 10 navios no porto australiano, afirmou a polícia e o Greenpeace.

AP |

No início da manhã desta segunda-feira, os ativistas seguiram em barcos infláveis até os navios de carvão ancorados em Hay Point e pintaram mensagens como "Coal is killing the reef" ("Carvão está matando os corais") na lateral dos navios, afirmou o Greenpeace.


Ativistas do Greenpeace protestam e são presos / AP

A polícia interceptou os barcos e deteve nove pessoas. Segundo a polícia do Estado de Queensland, eles respondiam a um chamado que dizia que os navios foram alvo de um "ataque de spray" e as autoridades responsáveis foram acionadas para verificar se irão prestar queixa contra os agressores.

O ativista do Greenpeace Simon Roz disse que o grupo protestava contra o plano do governo federal em expandir rapidamente  a exportação de carvão em um momento em que o mundo tenta reverter as emissões de carbono.

"A poluição não tem fronteiras, então o carvão queimado em qualquer lugar do mundo irá destruir ambientes únicos em todo o mundo", disse Roz.

O local do protesto, no centro do Estado de Queensland, é o maior porto de exportação de carvão do mundo. A Austrália é a maior exportadora de carvão do mundo e o produto representa quase 20% do total de bens exportados pelo país.

Ainda que o primeiro-ministro Kevin Rudd tenha encorajado o desenvolvimento de tecnologia limpa para o carvão, as exportações devem aumentar esse ano e a Austrália irá construir um novo porto de carvão pela primeira vez em 25 anos.

Leia mais sobre: Greenpeace

    Leia tudo sobre: apgreenpeace

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG