Ativistas dizem que jornalista saudita difamou o profeta Maomé

Riad, 18 mar (EFE).- Vários ativistas islâmicos denunciaram em um tribunal um jornalista saudita que acusam de ter difamado o profeta Maomé em um programa de televisão, segundo o jornal digital Al Wefaq.

EFE |

O jornal, de tendência muçulmana radical, explicou em seu site que um tribunal penal da cidade de Jidá estuda a denúncia apresentada contra um funcionário do jornal saudita "Al Watan", Yehia al Amir, pela acusação de ter descrito o profeta do Islã como "selvagem".

Amir utilizou essa expressão durante um programa do canal de televisão americano árabe "Al Hurra", no qual comentava alguns textos sagrados para a comunidade muçulmana.

Os ativistas pedem aplicação do castigo máximo segundo a "Sharia" (Lei Islâmica) ao jornalista, por ter insultado o profeta Maomé em seus comentários. EFE ms/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG