Ativistas dizem que evitarão violência em protestos contra Otan

Berlim, 27 mar (EFE).- Os organizadores das manifestações contra a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que acontecerão à margem da cúpula da próxima semana, afirmaram hoje que farão tudo o possível para evitar atos violentos e que cooperarão com as forças da ordem, mas pediram também que a Polícia impeça as provocações.

EFE |

"Comprometemo-nos a fazer tudo para conseguir um ambiente pacífico e evitar que os ultras encham as cestas de pedras. Além disso, tentaremos cooperar estreitamente com as forças de segurança, mas também pedimos à Polícia que retire sua gente", disse hoje o coordenador alemão da plataforma internacional que organiza as manifestações, Reiner Braun.

Braun fez estas declarações em uma conversa com a imprensa estrangeira em Berlim, na qual apresentou, junto com outros membros do comitê organizador, o programa de atividades previsto durante a cúpula da sexta-feira e sábado na cidade francesa de Estrasburgo e nas localidades alemãs de Kehl e Baden-Baden.

O objetivo das manifestações, marchas e congresso que acontecerão nas três cidades é protestar contra a Otan, uma aliança que, segundo Braun, deixou há tempos de ter justificativa.

Os organizadores esperam poder reunir milhares de ativistas de todo o mundo, "e não unicamente críticos à Otan". EFE ih/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG