Nairóbi, 6 mar (EFE).- Dois proeminentes ativistas defensores dos direitos humanos no Quênia foram assassinados a tiros em Nairóbi, capital do país, enquanto estavam em seu carro, informou nesta sexta-feira a ONU em comunicado.

Oscar Kamau Kingara e John Paul Oulu, respectivamente fundador e diretor de comunicações da organização Oscar Foundation, iam para uma reunião com membros da Comissão de Direitos Humanos do Quênia quando os assaltantes atiraram contra eles enquanto estavam parados em um engarrafamento.

A Oscar Foundation lançou em 2007 um relatório intitulado "Licença para matar: execuções extrajudiciais e brutalidade policial no Quênia", no qual documentavam 8.040 assassinatos cometidos por oficiais da Polícia no marco de uma suposta operação contra a seita local conhecida como os "mungiki".

A organização de Kingara e Oulu foi acusada na quarta-feira pelo Governo de estar por trás desta seita, cujos membros se manifestaram ontem, após a morte dos ativistas, em diferentes pontos da capital contra a Polícia, além de bloquear estradas e atacar ônibus públicos. EFE pa/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.