Seul - Um ativista pró-direitos humanos cruzou a fronteira entre Coreia do Norte a partir da China, através do rio Duman, com o objetivo de entregar uma carta ao líder norte-coreano, Kim Jong-il, e pedir-lhe o fechamento dos campos de trabalho norte-coreanos, informou a agência Yonhap.

Segundo disseram hoje integrantes de sua organização a meios de imprensa, Robert Park, cidadão americano de origem coreana, cruzou no dia 25 de dezembro o rio gelado que divide Coreia do Norte e China gritando: "Sou cidadão americano. Trago o amor de Deus".

Segundo os mesmos testemunhos, Park não foi detido em um primeiro momento pelos guardas de fronteira da Coreia do Norte, mas não se voltou a ter notícias dele desde então e a imprensa norte-coreana não confirmou sua entrada.

Park levava uma carta na qual pedia a Kim Jong-il a abertura das herméticas fronteiras do Estado aos envios de ajuda alimentar e médica, assim como o fechamento dos campos de concentração para presos políticos, acrescentaram seus companheiros.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.