O Exército israelense matou nesta sexta-feira um ativista palestino no campo de refugiados de Balata, em Nablus, norte da Cisjordânia, segundo uma fonte de segurança palestina.

Hani al-Kaabi, de 26 anos, líder local da Brigadas dos Mártires de al-Aqsa, morreu de manhã durante uma troca de tiros com militares israelenses de uma "unidade especial" que operavam disfarçados de palestinos, indicou a fonte.

Durante a operação no campo de refugiados, os militares detiveram o braço direito de al-Kaabi.

As Brigadas dos Mártires de al-Aqsa são ligadas ao movimento Fatah, do presidente palestino Mahmud Abbas, mas gozam de ampla autonomia.

str-ms/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.