Ativista chinês é condenado a nove anos de prisão

Justiça chinesa considerou subversivos ensaios escritos por líder pró-democracia Chen Wei, preso no início do ano

iG São Paulo |

O ativista chinês de direitos humanos Chen Wei foi condenado na sexta-feira a nove anos de prisão, após uma rápida audiência na qual ele se declarou inocente da acusação de subversão.

O advogado de Chen, Zheng Jianwei, disse que o tribunal de Suining (província de Sichuan, sudoeste chinês) considerou subversivos ensaios escritos por ele com críticas ao governo. Segundo relato de Zheng, após ouvir a sentença o réu declarou: "A ditadura vai cair, a democracia constitucional vai prevalecer".

Liang Xiajoun, outro advogado de defesa, disse que a audiência durou menos de duas horas e meia. A esposa de Chen, Wang Xiaoyan, confirmou a pena de nove anos de prisão por causa de nove textos publicados em sites chineses do exterior.

"Eles baixaram todos esses ensaios do exterior, não é possível lê-los em sites dentro da China", disse Wang por telefone. "Mas eles mesmo assim disseram que os ensaios tiveram um impacto extremamente maligno dentro do país."

A internet na China está submetida a filtros e bloqueios para impedir que os cidadãos leiam sites estrangeiros considerados inaceitáveis do ponto de vista político ou social.

A sentença imposta a Chen é a terceira maior já dada a um "subversivo". O Nobel da Paz Liu Xiaobo cumpre uma pena de 11 anos de prisão desde 2009, enquanto Liu Xianbin foi condenado a dez anos em março deste ano.

Chen, de 42 anos, foi um dos centenas de ativistas, dissidentes e líderes comunitários presos numa onda de repressão neste ano, quando o Partido Comunista agiu para evitar protestos inspirados pelas rebeliões pró-democracia da Primavera Árabe.

Muitos dos detidos já foram soltos, mas continuam sob observação policial. No caso de Chen, porém, as autoridades aparentemente quiseram "dar um exemplo", segundo o ativista Huang Qi, amigo do réu.

"Outras pessoas foram soltas, mas as autoridades do Partido Comunista sempre têm uma mão leve e uma mão pesada", disse Huang. "As autoridades vão certamente impor algumas sentenças duras para que sirvam de dissuasão aos outros."

Chen foi ativo em muitas campanhas que enfureceram autoridades, incluindo o auxílio a pais de crianças mortas em escolas que desabaram no terremoto de 2008 na província de Sichuan.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: chen weichinadissidenteativistacensuradireitos humanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG