Atividade de vulcão leva cidade equatoriana a pedir ajuda

Quito, 2 mar (EFE).- A pequena cidade equatoriana de Penipe, a cerca de oito quilômetros do vulcão Tungurahua, um dos mais ativos dos Andes, pediu hoje ao Comitê de Operações de Emergência (COE) provincial que instaure alerta laranja na região devido aos efeitos produzidos pelas cinzas geradas pela atividade vulcânica.

EFE |

Em declarações recolhidas pela imprensa local, Manuel Carranza, prefeito de Penipe, explicou que até "1.200 hectares podem estar sendo afetados" pelas cinzas, que já "destruíram plantações de tomate, milho e abóbora".

Segundo Carranza, Penipe precisa "imediatamente" de ajuda, já que a queda de cinza pode gerar "doenças respiratórias e dermatológicas".

O vulcão Tungurahua, situado a 135 quilômetros de Quito, começou seu atual processo de erupção em 1999 e desde então intercalou períodos de grande atividade com lapsos de relativa calma.

Em dezembro passado, o vulcão de 5.016 metros de altura registrou um aumento significativo de sua atividade.

Ontem, o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional catalogou a atividade do Tungurahua como "moderada com tendência crescente", e hoje informou que nas últimas 24 horas foram registrados 26 eventos de longo período, 24 de tremor de emissão e três explosões.

Uma das explosões produziu uma coluna de emissão de 5 quilômetros de altura com uma carga "moderada" de cinzas.

Segundo Carranza, as cinzas que caíram nos últimos dias "não são muito negras e parece que tem um elemento que destrói mais rapidamente a planta".

Por isso, espera que na próxima quarta-feira o COE da província de Chimborazo, onde fica Penipe, "ratifique esse alerta". EFE ic/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG