Atiradores matam 2 policiais na Rússia após visita de presidente

MAKHACHKALA, Rússia (Reuters) - Atiradores mataram dois policiais na volátil região russa de Dagestan nesta terça-feira, horas após o presidente, Dmitry Medvedev, prometer reunir policiais para combater insurgentes islâmicos. Medvedev se encontrou com autoridades em Dagestan, uma miscelânia de grupos de diferentes etnias que faz fronteira com a Chechênia, para avaliar a crescente insurgência uma semana após o ministro do Interior da província ter sido morto por um franco atirador em uma festa de casamento.

Reuters |

"Este é um cínico desafio às autoridades, ao Estado", disse Medvedev sobre o assassinato do ministro durante encontro de autoridades de segurança nos arredores da capital regional Makhachkala.

Mas apenas algumas horas após a visita, um oficial das forças especiais foi morto em um ataque perto de sua casa no vilarejo de Tyube, cerca de 30 quilômetros onde Medvedev discursou, disse o porta-voz da polícia, Mark Tolchinsky.

Mais tarde, um policial de trânsito foi morto perto da cidade de Kizlyar, a 120 quilômetros de Makhachkala, disse Tolchinsky.

Uma das regiões mais populosas do norte do Cáucaso, predominantemente muçulmano, o Dagestan faz fronteira com a Chechênia, onde a Rússia já participou de duas guerras desde os anos 1990 contra separatistas islâmicos.

(Por Conor Humphries)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG